Com boa saúde
(desde o boletim informativo de Consumer Health Digest. Tradução: Andrea Gaddini)

marketing multinível (MLM)

Um livro adverte: o MLM (marketing multinível) não é rentável. (#11-39, 17 de novembro de 2011)
Jon Taylor, M.B.A.(*), Ph.D. atualizou sua análise crítica do marketing multinível, concluindo:
**Os dados de 40 empresas demostram que uma média de 99.6% dos participantes de marketing multinível perderam dinheiro, gastando mais em compras da empresa e em custos operacionais mínimos do que cobraram em comissões.
**Aqueles que perderam mais são aqueles que investiram mais, tendo acreditado nas afirmações publicitarias enganadoras de acordo com as quais o MLM é uma oportunidade legítima de lucro ou uma ocasião de negócios, e tendo continuado a investir na esperança vã de cobrar finalmente um lucro consideràvel.
**De acordo com as estatísticas de Direct Selling Association, a mais importante organização de lobby pelo MLM, as vendas totais (que são na verdade perdas sofridas por dezenas de milhões de vítimas) ultrapassam nos Estados Unidos as dezenas de milhares de milhões por ano, com perdas muito maiores no mundo inteiro. No exterior o MLM pilham as populações mais vulneráveis.
**Alguns participantes de MLM perderam mais do que o dinheiro. Divórcios, brechas entre famílias extensas e até vício em marketing multinível podem ser o efeito dum desmedido engajamento no MLM, que pode transformar-se num estilo de vida. Os "viciados em MLM" que interiorizaram sua atracção para o "dinheiro fácil" podem achar difícil voltar a trabalhar num âmbito laboral normal.
[Taylor JM. The Case for and against Multilevel Marketing: The Complete Guide to Understanding and Countering the Effects of Endless Chain Selling and Product-based Pyramid Schemes. Bountiful, Utah, 2011, Consumer Awareness Institute] O livro pode-se baixar gratuitamente do site: http://www.mlm-thetruth.com/index.php/download_file/view/77/149/.
(*) Master of Business Administration, mestrado em administração de empresas

Está disponível uma análise sobre o MLM (marketing multinível). (#12-18, 27 de maio de 2012)
O Dr. Jon Taylor, Ph.D., MBA, que analisou as ofertas financeiras de mais de 400 empresas multinível, oferece um livro grátis e muitas outras informações no seu site Web MLM-the-Truth http://mlm-thetruth.com/. Taylor também oferece um boletim informativo gratuito publicado cerca de seis vezes por ano. http://us2.campaign-archive2.com/home/?u=82ad608e1cc2c87491fc1f32e&id=59ba8ad767 Taylor acha que toda a indústria do marketing multinível seja fundamentalmente equivocada e que o 99% dos participantes na realidade só percam dinheiro.

Foi atualizado um livro sobre as trapaças do marketing multinível (#12-23, 5 de julho de 2012)
O Dr. Jon M. Taylor, M.B.A. Ph.D. atualizou THE CASE (FOR AND) AGAINST MULTI-LEVEL MARKETING: o guia completo para compreender e combater os efeitos das vendas em cadeia interminável e dos esquemas em pirâmide baseados em produtos. A introdução do livro afirma que:
**O marketing multinível como modelo de negócio baseia-se numa cadeia infinita de recrutamento, assim como as cadeias de mensagens que exigem pagar para participar e o marketing multinível sem produto.
** Cada um dos planos de compensação das centenas de marketing multinível analisados por Taylor pressupõe um mercado virgem e infinito, mas nenhuma dessas condições existe no mundo real. O marketing multinível portanto está fundamentalmente equivocado, desperdiçador e enganoso.
**Pelos mais de 400 marketing multinível pelos cuais Taylor pôde obter dados relevantes, a percentagem de distribuidores que perdem dinheiro é mais de 99%.
O livro digital de 381 páginas pode ser baixado gratuitamente em http://www.mlmwatch.org/01General/taylor.pdf. O site web de Taylor (MLM-The Truth.com) contém uma fartura de informações adicionais http://mlm-thetruth.com/.

Herbalife atacada como "esquema em pirâmide" (#12-46 - 27 de dezembro de 2012)
Bill Ackman, o bilionário investindo em fundos de cobertura montou um ataque contra Herbalife que aparentemente espera vai expulsá-lo dos negócios. O ataque foi lançado com uma apresentação de três horas e meia à Sohn Conference Special Event o 20 de dezembro. Durante sua apresentação, Ackman observou que:
** Herbalife recruta involuntários "distribuidores" com a promessa de que possam alcançar elevadas rendas. Contudo, só um de cada mil consegue fazê-lo.
** Os produtos da Herbalife comercializam-se com preço exagerado mas vendem-se, porque estão amarrados à percepção duma oportunidade de negócios. Contudo, a grande maioria dos novos distribuidores não ganha nada.
** Herbalife é um esquema em pirâmide porque seus participantes obtêm benefícios monetários principalmente do recrutamento em vez que da venda de mercadorias aos consumidores.
Ackman começou vendas a descoberto quando foi redigido seu reportagem e afirma ter realizado vendas a descoberto por mais de 20 milhões de ações (a venda a descoberto é uma transação de mercado naquele um investidor vende ativos emprestados na expectativa duma queda dos preços e requer-se ele devolver um número igual de ações num determinado momento no futuro. Os investidores curtos ganham se os preços das ações caem e perdem se os preços sobem). Ackman prometeu doar todas seus lucros pessoais à caridade. Os preços das ações de Herbalife mergulharam após a apresentação do Ackman mas recuperaram-se ligeiramente nos últimos dias (ligação). 
A Pershing Square Capital Management, L.P., liderada por Ackman, lançou FactsAboutHerbalife.com, que contém apresentações dos distribuidores Herbalife, apresentações e documentos sobre o recrutamento, vídeos no estilo de vida dos distribuidores, reportagens investigativas de terceira parte, revistas Herbalife Today, audiências de tribunal e transcrições de depoimentos, vídeos de arquivo e outros materiais sobre a história da empresa, sistemas de geração de lead (lead generation systems), correspondência com a SEC (Comissão de controle da Bolsa), e outros dados para ajudar o público a compreender os fatos relacionados com Herbalife. Os itens mais importantes são o vídeo da apresentação do Ackman, os diapositivos da apresentação em PowerPoint e a investigação em quatro partes da CNN que dizimou as vendas de Herbalife en 1985.

Um livro branco pede mais regras para o marketing multinível (#14-13 - 13 de abril de 2014)
O advogado Douglas M. Brooks e outros dois especialistas de esquemas de pirâmide e marketing multinível entregaram ao senador democrata de Massachusetts Ed Markey um livro branco de 37 páginas concernindo a necessidade duma regulamentação mais eficaz da indústria de marketing multinível. [Brooks DM and others. The pyramid scheme industry: Examining some legal and economic aspects of multi-level marketing. March 13, 2014]. O relatório, baseado em dados fornecidos por Herbalife, Amway e Nu Skin, conclui que:
* cerca de 99% daqueles que pagam para tornar-se distribuidores, na esperança de ganhar dinheiro, ao invés se acaban perdendo-o, e finalmente muitos retiram-se.
* cerca de 54% de todas as comissões pagadas por estas empresas vai a um 1% dos distribuidores, que ganham, em média, cerca de 128.000 dólares.
* a política atual da FTC sobre o marketing multinível, que basea-se principalmente num caso de 1979 envolvendo Amway, é um fracasso.
No início deste ano Markey solicitou à Comissão Federal do Comércio (FTC: Federal Trade Commission) e a Comissão de Valores Mobiliários (SEC: Securities and Exchange Commission) que investigasse sobre Herbalife, uma das maiores empresas de marketing multinível. Também FTC recebeu uma petição apresentada por uma aliança internacional de defensores dos consumidores (ligação). No mês passado Herbalife anunciou que a FTC colocou-a sob investigação. Também o Procurador-geral do Estado de Nova York está investigando.

Demanda coletiva apresentada contra Herbalife (#14-14 - 20 de abril de 2014)
Uma demanda coletiva foi apresentada por Abdul Awad, acionista de Herbalife que afirma ter comprado ações da empresa com preço inflado devido a declarações falsas ou enganosas feitas pela própria empresa. Awad tenta representar todos os investidores que compraram ações entre o 4 de maio de 2010 e o 11 de abril de 2014. Sua querela afirma que:
as operações da empresa são baseadas num esquema em pirâmide em que seus distribuidores produzem renda recrutando outros distribuidores em vez de vender seus produtos dietéticos e nutricionais ao consumidor comum.
Herbalife empreendeu práticas comerciais enganosas quando indevidamente exerceu pressão sobre seus membros para que comprassem mais produtos que revender na qualidade de seus "distribuidores".
Como resultado do acima mencionado, as declarações financeiras da empresa foram materialmente falsas e enganosas em todos os momentos relevantes.
Em 2013, o New York Times reportou que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC - Securities and Exchange Commission) abriu uma investigação sobre a empresa. Recentemente o Financial Times reportou que o FBI começou uma investigação criminal sobre Herbalife. [É preciso se registrar para acessar o artigo].
O senador de Massachusetts Edward J. Markey enviou uma carta ao diretor executivo de Herbalife, Michael O. Johnson, pedindo (a) quanto de lucro (rendas netas depois de subtrair as despesas) pode esperar um distribuidor médio da venda aos não distribuidores (ou seja, as pessoas não diretamente envolvidas na Herbalife)?; e (b) qual é o número exato de vendas fora da rede como porcentagem do total de vendas em cada um dos últimos cinco anos, medida por produto, quantidade e valor. Markey também pediu à FTC (Commissão Federal de Comércio) e à SEC que verificassem se Herbalife é uma empresa legítima de marketing multinível. Markey também reportou de que uma família de Norton, Massachusetts perdeu 130.000 dólares investindo em produtos da empresa, e uma mulher afirmou ter recebido pressões para recrutar familiares e gastar mais dinheiro para comprar mais produtos de Herbalife de modo que assumisse o título de "supervisora” no sistema Herbalife.
A notícia das investigações levou a uma acentuada queda dos preços das ações ordinárias da Herbalife, o que causou consideráveis perdas para Awad e muitos outros investidores.

Distribuidores de Herbalife pegados fazendo alegações médicas impróprias (#14-15 - 27 de abril de 2014)
Uma reportagem em secreto da ABC News encontrou muitos exemplos de distribuidores ostentando aos potenciais clientes que os produtos da empresa ajudaram a tratar doenças graves. [Ross B and others. Caught on video: Can Herbalife cure a brain tumor? ABC Nightline, April 22, 2014]. Em um caso, um distribuidor ainda disse a um repórter da ABC que uma mulher com um tumor no cérebro tornou-se assintomática depois de começar a usar os produtos da Herbalife. Uma das principais áreas de crescimento de Herbalife está nos "nutrition clubs", vitrinas de proximidade onde as pessoas interessadas em perder peso vêm consumir shakes e obter treinamento sobre a sua nutrição. Quando um repórter da ABC News visitou um nutrition club em Staten Island, recebeu um documento semelhante a um formulário médico para preencher sobre o consumo de comida. Em seguida, ele foi escoltado para o que parecia ser uma sala de exame médico, onde foi submetido a um teste que foi-lhe dito mostrava que seu colesterol estava alto. O distribuidor recomendou suplementos Herbalife para "ajudá-lo a limpar o seu colesterol". Durante uma entrevista, o presidente da Herbalife afirmou que a empresa utiliza "clientes secretos" para monitorar o cumprimento dos distribuidores e que não achava que era frequente que fizessem-se alegações em campo médico. Contudo a empresa mais tarde revelou ter açoitado em 2013 cerca de 600 distribuidores, 12 dos quais foram expulsados, por violar sua política de "nenhuma alegação médica".

Ex distribuidores de Herbalife descrevem como foram severamente danificados (#14-17 - 11 de maio de 2014)
Bill Ackman, que considera Herbalife um esquema em pirâmide, produziu um documentário e uma mesa-redonda em que ex-distribuidores Herbalife explicam como suportaram significativas perdas financeiras. O vídeo, muito convincente, pode-se ver no site de Ackman, Facts about Herbalife, que contém uma análise financeira detalhada, documentos judiciais e materiais de muitas outras fontes sobre a sociedade. Embora o custo inicial para tornar-se distribuidor Herbalife seja baixo, muitas pessoas são induzidas a investir milhares de dólares para acumular produtos, comprar incentivos de venda e tomar parte em reuniões promocionais.

Disponíveis os resultados de novas investigações sobre Herbalife (#14-26 - 20 julho 2014)
A Pershing Square Capital Management irá apresentar a sua investigação sobre os "nutrition clubs" de Herbalife Ltd. ao AXA Equitable Center, 787 Seventh Ave., New York, em terça-feira 22 de julho às 9:15; em seguida haverá uma sessão de perguntas e respostas. A apresentação também será transmitida simultaneamente nos sites web www.herbalifepyramidscheme.comwww.factsaboutherbalife.com. Herbalife afirma que esses "clubes" são apenas locais de encontro sociais que reúnem pessoas para falar sobre a boa alimentação e a atividade física. Mas o supercrítico de Herbalife Bill Ackman pensa que na realidade sejam elemento-chave do sistema piramidal Herbalife. As ações da Herbalife caíram 10% desde o anúncio da apresentação.

Publicaram uma análise das queixas sobre o marketing multinível (#14-33 - 7 de setembro de 2014)
John M. Taylor, MBA, Ph.D., que dirige o site web MLM-thetruth.com, publicou uma análise de 356 páginas: analysis of complaints about multilevel marketing firms sent to the FTC in 2013. O relatório conclui:
Mais de 900 queixas foram apresentadas sobre mais de 100 empresas. As queixas - que incluem o "channel stuffing" (pressionar os participantes a comprar produtos difíceis de vender), preço de venda excessivo, alegações de saúde grosseiramente exageradas e altas taxas de rotatividade da clientela - são indicadoras de práticas enganosas difundidas e comercialmente incorretas, em que a FTC (Comissão Federal de Comércio dos EUA) tem o dever de investigar.
O marketing multinível é um modelo de negócio inerentemente defeituoso. Normalmente, os clientes potenciais são atraídos por afirmações exageradas sobre produtos e rendas. E dado que o plano de pagamento é fortemente voltado em favor dos que estão nos níveis mais altos da pirâmide, a grande maioria dos participantes gasta mais do que recebe e, finalmente, deixa, apenas para ser substituído por uma enxurrada de novos recrutas, enganados da mesma maneira, aproximadamente 99% dos quais também são destinados a sofrer perdas e decepções.
A FTC não tem os recursos para prosseguir as centenas de empresas de marketing multinível que violem a lei FTC. Os consumidores expressaram sua raiva ante os abusos que sofreram e proporcionaram um monte de provas que apontam para áreas específicas em que a FTC poderia tomar medidas preventivas. Embora a agência tenha o poder de estabelecer regras que forneçam alguma proteção para os consumidores, por outro lado isentou a indústria do marketing multinível do cumprimento das regras estabelecidas na sua Business Opportunity Rule em favor de estudos caso a caso, realizados com pouca freqüência e que falham proteger contra os abusos que são comuns em toda a indústria.

Avon deixou a Associação das Vendas Diretas (Direct Selling Association) (#14-35 - 21 de setembro de 2014)
Avon anunciou que se tenha retirado da Associação das Vendas Diretas (Direct Selling Association, DSA), quem co-fundou e ajudou a levar por muitos anos. Em uma carta aberta (em Inglês) aos membros da DSA, Avon disse que o código de ética da organização estava ultrapassado e tinha falhado proteger as pessoas que entram no negócio de venda direta. Muitos membros da DSA são empresas de marketing multinível (MLMs) cujos distribuidores para a maior parte da sua renda dependem do recrutamento, em vez que da venda de produtos. Observadores com conhecimento acreditam que a Avon estava preocupada com a recente onda de publicidade negativa para Herbalife (outro membro proeminente da DSA), que várias agências reguladoras estão a investigar - e Avon não queria ver a sua reputação manchada pela continua estreita associação com o marketing multinível [Stewart M. The women of Avon 'lipstick' it to the DSA, Wherefore art thou Ramey-O? Seeking Alpha Blog, Sept 16, 2014].

Herbalife acusada de fazer alegações ilegais sobre a saúde (#14-45 - 14 de dezembro de 2014)
A Pershing Square Capital Management publicou um vídeo que mostra distribuidores alegando que os produtos da Herbalife são eficazes contra asma, bronquite, enxaquecas, problemas de estômago. artrite, esclerose múltipla, e muitas outras doenças, e também podem produzir perda de peso sem variação da dieta ou actividade física. O vídeo também observa que essas alegações violar as leis federais de remédios além da injunção permanente obtida em 1986 pelo Procurador-geral da Califórnia. A atual Procuradora-geral foi convidada a tomar medidas, mas até agora não o fez. Um relatório recente revelou que seu marido (Douglas C. Emhoff) é sócio de um escritório de advocacia que atua para a Herbalife [Is the California Attorney General avoiding investigating Herbalife to protect her husband?] Quoth the Raven blog, Dec 4, 2014].

Herbalife condenada a retirar publicidade enganosa (#14-46 - 21 de dezembro de 2014)
A FDA pediu a Herbalife Ltd remover um vídeo de YouTube em que Vassilos K. Frankos, Ph.D. alegava que, quando era diretor de suplementos dietéticos da FDA, "revisava os suplementos dietéticos, assegurandose de que eram seguros e eficazes". A carta da FDA nota que "como Herbalife e o Dr. Frankos devem saber (...) a FDA não revisa e não está autorizada a revisar os suplementos dietéticos por sua eficácia" e, normalmente, não revisa-os por sua segurança. Uma cópia da carta foi enviada à Federal Trade Commission, que, como é notório, está investigando sobre as práticas de marketing da Herbalife. Quem se conecta com o URL do video, agora encontra uma mensagem informando que o video é "privado".

Um vídeo afirma que muitos marketing multinível são esquemas piramidais (#15-03 - 18 de janeiro de 2015)
A Pershing Square Capital Management, cujo presidente Bill Ackman está pedindo aos reguladores do governo fechar Herbalife, produziu um brilhante vídeo de 6 minutos explicando por que muitos marketing multinível (MLM) devem ser considerados esquemas piramidais. O vídeo afirma:
A maioria das empresas que vendem produtos, ganham dinheiro vendendo-os aos consumidores. Mas muitos MLMs ganham dinheiro com a venda de produtos superfaturados, difíceis de vender a seus próprios distribuidores, que normalmente são aspirantes empresários esperando fazer negócios. Para se qualificar como distribuidor, deve-se comprar uma quantidade mínima de produto da empresa. Isso pode custar centenas ou mesmo milhares de dólares. Uma vez que se tem comprado bastante produto para se qualificar para ganhar comissões, em breve vai-se perceber que é difícil de revender o inventário que se comprou e gerar lucros de varejo. Nesse ponto, vai se aprender que a única maneira de ter a chance de recuperar o dinheiro investido é o recrutamento de outros distribuidores. Provavelmente o distribuidor que os recrutou vai empurra-los para convencer outros a comprar e se tornar distribuidores. ... Esta constante ênfase no recrutamento de novos distribuidores é um sinal revelador de que trata-se dum esqema de venda piramidal. MLM Watch publica o texto completo do vídeo além de ligações com as versões inglesa e espanhola.

Mais ceticismo sobre Herbalife (#15-40 - 11 de outubro de 2015)
O caso Vemma levou muitos jornalistas a se perguntar se a FTC vai trazer acusações semelhantes contra Herbalife. A FTC tem sido investigando Herbalife durante vários anos, mas Herbalife contratou ex-funcionários governamentais e está manobrando para tentar bloquear a ação da FTC. É também claro que a FTC teria podido fazer muito para proteger o público contra as MLMs, mas não conseguiu fazê-lo. Um blogger de Seeking Alpha resumiu a situação da seguinte maneira:
A realidade é que o marketing multi-nível é fundamentalmente falhado. O problema é que há pessoas demais tentando conseguir uma fatia do bolo (ou seja, uma venda). Nas vendas diretas, a empresa e o vendedor ambos obtém uma fatia do bolo. A empresa obtém um caminho eficiente para o mercado, e o vendedor faz um bom lucro. Sabemos que no MLM, muito poucas pessoas fazer uma quantidade razoável de dinheiro. O problema é que com o MLM, você tem que compartilhar a torta com muitas pessoas que não estão diretamente envolvidas na venda. Na Herbalife, se um distribuidor faz uma venda a sua mãe, o dinheiro vai terminar seu caminho através do complexo plano de marketing e pode acabar no bolso dum membro do Clube dos Presidentes, que nunca conheceu o distribuidor e que vive a milhares de milhas de distância. O problema é que isso aperta a sua margem na venda, estão comendo seu bolo. A única maneira de manter ao distribuidor a sua fatia do bolo é fazer crescer o bolo, aumentando os preços. É por isso que os produtos vendidos usando MLM são tipicamente tão fantasticamente caros. Este superfaturamento diminui a demanda de varejo. Se tirara-se o "ML" do MLM, o lado de varejo do negócio iria melhorar muito. Isso não vai acontecer, porque fazendo isso reduziria-se o volume de produto expedido, o que não é bom para os acionistas. De volta ao começo, para parafrasear Steve Wynn, se você quiser ganhar dinheiro em um MLM, possua um deles.
[Davidson C. Unsustainable, fragile, overvalued and under attack: The case for going short Herbalife now. Seeking Alpha, Oct 7, 2015]

Desmascararam o envolvimento de Trump no marketing multinível (#16-11 - 27 março 2016)
De acordo com o Washington Post, Donald Trump afirma que seu envolvimento com a empresa de marketing multinível Ideal Health apenas consistiu em permitirlhes usar seu nome para fins comerciais e que ele não estava envolvido nas atividades da empresa. Mas o jornal observou que: "suas declarações e aquelas de otros representantes da empresa, assim como uma infinidade de materiais publicitários circulando on-line, muitas vezes deram a impressão duma colaboração que estava segura de levantar milhares de pessoas à prosperidade". [Swanson A. The Trump Network sought to make people rich, but left behind disappointment. Washington Post, March 23, 2016]

Herbalife vai pagar $200 milhões de dólares para conciliar acusações da FTC (#16-28 - 24 julho 2016)
Herbalife International of America, Inc., Herbalife International, Inc. e Herbalife, Ltd. concordaram em reorganizar suas operações comerciais nos Estados Unidos e pagar 200 milhões de dólares para conciliar as acusações da FTC de ter enganado os consumidores fazendo-os acreditar que puderem ganhar uma quantidade considerável de dinheiro vendendo dietas, suplementos dietéticos e produtos para cuidados pessoais [Herbalife will restructure its multi-level marketing operations and pay $200 million for consumer redress to settle FTC charges. FTC news release, July 15, 2016]. A conciliação foi anunciada numa conferência de imprensa filmada naquele a presidenta da FTC Edith Ramirez respondeu às perguntas sobre o caso. No seu discurso de abertura observou:
- Herbalife "prometeu às pessoas uma oportunidade de sonho de mudar suas vidas, deixar seu emprego e alcançar a liberdade financeira".
- O sonho retratado pelos porta-vozes célebres e pelos materiais publicitários da Herbalife era "uma ilusão", porque a grande maioria dos novos distribuidores descobriram que podiam fazer pouco ou nenhum dinheiro vendendo produtos Herbalife.
- A conciliação incluiu um pagamento de 200 milhões de dólares para restituições a muitos distribuidores e "obriga a empresa a pôr em prática uma grande reorganização de suas operações comerciais".
- A FTC espera que os princípios fixados na conciliação vão ser um exemplo para a indústria do marketing multinível em geral.
Em resposta à conciliação, Carl Icahn (membro do conselho de administração e grande acionista da Herbalife) afirmou que a FTC "concluiu que a Herbalife não é um esquema de pirâmide". De qualquer forma, Ramirez disse que isso era impreciso, que a conciliação não chegou a tais conclusões, mas concentrou-se em corrigir as práticas abusivas da Herbalife.

O comediante John Oliver esmaga o marketing multinível como "oportunidade de renda" (#16-42 - 13 novembro 2016)
Em uma sátira de 30 minutos, John Oliver explica por que o marketing multinível deve ser considerado como uma "cadeia de pirâmide sem fim" e expõe a gama de manobras usadas para enganar os possíveis distribuidores e minimizar o impacto das regulamentaçoes governamentais. O vídeo, que teve mais de 5 milhões de visualizações no YouTube, termina com a promessa de que, se cada espectador o envia a outras cinco pessoas que façam o mesmo, atingirá todas as pessoas na terra em apenas 14 ciclos de envio. Uma versão em espanhol teve quase 1,5 milhões de visualizações. Um vídeo igualmente poderoso de 6 minutos - How to spot a pyramid scheme ("como detectar um esquema de pirâmide") teria-se que exigir que todos os alunos do ensino médio e universitário o vejam. Por favor, enviem essas ligações para todos os que você acha poder beneficiar destas informações.

A presidenta da FTC esclarece os requisitos pelo marketing multinível (MLM) (#17-08 - 5 fevereiro 2017)
Edith Ramirez, presidenta cessante da Federal Trade Commission (FTC - Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos) resumiu o que as empresas de marketing multinível (MLM) devem fazer para evitar ações de execução pela Comissão. Em teoria, os distribuidores MLM podem ganhar dinheiro vendendo produtos e/ou recrutando outros que façam o mesmo. Apesar disso, ações de execução esclareceram que, como a maior parte da renda vier da venda dos direitos de distribuição, a organização pode-se considerar um esquema em pirâmide. Numa carta à Direct Selling Association (Associação de Venda Direta), representando mais de 100 MLMs, Ramirez afirma:
- a compensação dos distribuidores deve basear-se em vendas de retalho reais que sejam rentáveis, verificáveis e principalmente para clientes fora da rede de distribuidores - e não no recrutamento de participantes adicionais.
- a FTC e os tribunais demonstraram ceticismo em relação ao "consumo pessoal". Embora os vendedores possam desfrutar da compra dos produtos que supostamente vendem no varejo, deveriam ser compensados apenas por vendas feitas para clientes de varejo, e não pela compra de produto para si mesmos ou por outros distribuidores.
- as MLMs devem ter programas eficazes de monitoramento para garantir que as reivindicações de ganho sejam verdadeiras e não-enganosas.
- o processo de recrutamento não deve incluir testemunhos irrealistas de "estilo de vida" sendo verdadeiros apenas para uma pequena minoria de participantes.
Acções recentes da FTC contra Herbalife e Vemma sugerem que a agência irá examinar com mais atenção a indústria de MLM. Ainda não se sabe se a administração Trump irá interferir com esta atividade.

Herbalife processado por revendedores (#18-35 - 2 setembro 2018)
Oito ex-revendedores da Herbalife entraram com uma ação coletiva contra Herbalife baseada em Los Angeles no Tribunal Distrital dos EUA, pelo Distrito Sul da Flórida. A queixa afirma:
- A empresa usa falsas representações para vender os acessos a eventos emocionalmente manipuladores que têm de 200 a 20.000 participantes.
- Os eventos usam rótulos como "Círculo do Sucesso" como caminho garantido para o sucesso financeiro que mude a vida com a oportunidade de negócios do marketing multinível da Herbalife.
- Cada um dos revendedores demandantes gastou milhares de dólares participando de eventos, mas não receberam nenhum benefício por fazê-lo contrariamente às freqüentes alegações da Herbalife que: "Se você for a todos os eventos, você se qualifica para tudo, você vai ficar rico".
Os demandantes estão pedindo indenização por danos e mandatos judiciais contra "a corrupta organização de indivíduos e entidades que vendem, gerenciam e obrigam a participação no Círculo do Sucesso".
Um relatório da Associated Press afirma que o caso pode finalmente envolver mais de 100.000 requerentes [Anderson C. Herbalife distributors claim events were a sham. Boston Globe. Aug. 21, 2018]. Em moções de pré-julgamento, os advogados da Herbalife argumentaram que os demandantes haviam assinado contratos que exigem a arbitragem de quaisquer disputas ao invés de julgamento no tribunal [Pickett A. Herbalife seeks to arbitrate potential $1 billion class action. Courthouse News Service. Aug. 21, 2018].

Distribuidores da Herbalife acusados de fazer alegações falsas sobre a COVID-19 (Consumer Health Digest #20-26 - 5 julho 2020)
Uma investigação da TruthInAdvertising.org catalogou mais de 30 casos em que a Herbalife, através de seus distribuidores, alegou indevidamente que vários produtos da empresa podem tratar e/ou prevenir o coronavírus, estimulando o sistema imunológico. A organização de defesa do consumidor apresentou uma queixa junto à Federal Trade Commission (FTC) contra a Herbalife [TINA.org alerts FTC to Herbalife distributors' coronavirus claims. TINA.org. Apr 27, 2020]. Embora a FTC tenha enviado ddezenas de cartas de advertência para empresas que fazem alegações enganosas relacionadas ao coronavírus, a Herbalife ainda não está entre essas empresas.

Herbalife tem que pagar 123 milhões de dólares para resolver acusações penais (Consumer Health Digest #20-34 - 30 agosto 2020)
A empresa de marketing multinível Herbalife Nutrition Ltd. envolveu-se num acordo adiado para resolver acusações federais de associação de malfeitores por um período de dez anos para subornar funcionários chineses e falsificar seus registros contábeis para promover e expandir seus negócios na China. Segundo o acuerdo, a Herbalife admitiu violações da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (Foreign Corrupt Practices Act) e prometeu pagar multas totalizando mais de 123 milhões de dólares. Em 2016, os negócios da Herbalife na China representavam 850 milhões de dólares, o que era cerca de 20% de suas vendas líquidas anuais em todo o mundo [Herbalife agrees to pay $123 million to resolve Foreign Corrupt Practices Act case. US Attorney's Office for the Southern District of New York news release, Aug 28, 2020]. MLM Watch tem um arquivo de informações sobre a Herbalife coletadas ao longo de mais de 30 anos, que inclui ações regulatórias e processos judiciais contra a empresa.

A versão original dos textos do boletim informativo está na página inglês. Por sugestões ou críticas sobre a tradução podem escrever-me.
Para consutar o arquivo completo do boletim informativo liguem-se à página web:
https://www.ncahf.org/digest19/index.html.
Para receber gratuitamente o boletim informativo de Consumer Health Digest (em inglês) é suficiente ligar-se à página web:
https://www.ncahf.org/digest/chd.html.

Legenda: FDA: Food and Drug Administration, Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos http://www.fda.gov/
FTC: Federal Trade Commission, Commissão Federal de Comércio dos Estados Unidos http://www.ftc.gov/ em espanhol: http://www.ftc.gov/index_es.shtml
AMA: American Medical Association http://www.ama-assn.org/ama

vá ao índice de "com boa saude"

Boa saúde a todos (à exceção dos charlatães que fazem dinheiro na saúde dos outros).

Me desculpo por qualquer falha na tradução portuguesa:
se você deseja comunicar comígo para correções e/ou comentários,
escreva-me

página criada em: 27 de agosto de 2011 e modificada pela última vez em: 5 de setembro de 2020