citações anticlericais

Citações de: ... e das obras dos autores (as traduções são minhas)

Lucrécio (Titus Lucretius Carus, 96?-56 AEC). De: "De rerum natura". A vida humana é envenenada pela farda da religião.

Séneca (ca. 5 AEC - 65) A religião é vista pelas pessoas comuns como verdadeira, pelos inteligentes como falsa, e pelos governantes como útil.

Fernão de Magalhães (1480?-1521) A Igreja diz que a Terra é achatada, mas sei que ela é redonda, porque vi a sombra dela na Lua, e acredito mais numa sombra do que na igreja.

Michel Eyquem de Montaigne (1533-1592) Os homens de simples compreensão, pouco inquisitivos e pouco instruidos, fazem os bons cristãos.

Miguel De Cervantes (1547-1616) Desconfia do boi de frente, da mula por detrás e do monge por ambos os lados.

Christopher Marlowe (1564-1593) Barrabás, em "O Judeu de Malta, Prólogo" Considero a religião como um brinquedo infantil, / e acho que o único pecado é a ignorância.

Blaise Pascal (1623-1662) de: "Pensamentos" (1 670) Os homens nunca fazem o mal tão plenamente e com tanto entusiasmo quando o fazem por convicção religiosa.

Daniel Defoe (1660-1731) de: "The True-Born Englishman" Parte II (1701) De todas as pragas que afligem a humanidade, a pior é a tirania eclesiástica.

Charles de Montesquieu (1689-1755) de: "Cartas Persas" (1721) Posso assegurar-os que nenhum reino teve mais guerras civis que o reino de Cristo.

Voltaire (François Marie Arouet, 1694-1778): (...) todos os dias vêem-se nos países católicos padres e frades que, saindo duma cama adulterino e sem lavar-se as mãos manchadas de impurezas, vão fazer deuses aos centos e comem e bebem o seu deus, e mijam o seu deus. Quando reflectem acerca do que esta superstição, cem vezes mais absurda e sacrílega que todas as dos egípcios, valeu a um padre italiano dos quinze aos vinte milhões de renda e o domínio dum país de cem milhas de extensão, alguém quereria pegar em armas e expulsar o padre que apoderou-se do palácio dos Césares. de "Dicionário Filosófico" (1764) artigo "Transubstanciação" citado em "Il Vernacoliere", julho 2001.
- Cada homem ajuizado, cada homem razoável, deve considerar com repugnância à seita cristã.
-
A superstição nasceu no paganismo, foi adotada pelo judaísmo e contaminou a igreja cristã desde os tempos primitivos. Todos os padres da igreja, sem excepção, creram no poder da magia. A igreja sempre condenou-a, mas acreditou nela, e não excomungou os feiticeiros e as bruxas como doidos ou em erro, mais como homens que estavam em relação com o diabo. de "Dicionário Filosófico" (1764) artigo "Superstição"
-
Nada pode ser mais contraditório à religião e ao clero do que a razão e o senso comum.
-
Um clérigo é alguém que sente-se chamado a viver sem trabalhar, à custa dos desgraçados que trabalham para viver.
-
Cada vez que um acontecimento importante, uma revolução, ou uma calamidade leva um benefício à igreja, isto é sempre apontado como o Dedo de Deus. De "Dicionário Filosófico" (1764)
-
É óbvio que de todas as religiões, a cristã deveria ser a mais tolerante, embora, até hoje, os que têm professado esta religião superaram em intolerância os outros homens. de "Dicionário Filosófico" (1764) artigo "Tolerância"
-
Quem crea absurdidades fará atrocidades.
-
As verdades da religião nunca são compreendidas tão bem como por aqueles que perderam a capacidade de raciocinar. De "Dicionário Filosófico" (1764)

Thomas Paine (1737-1809) De todas as tiranias que afligem a humanidade, a tirania na religião é a pior. Todas as outras espécies de tiranias estão limitadas ao mundo em que vivemos, enquanto esta procura estender-se além da sepultura e procura perseguir-nos na eternidade.

James Madison (1751-1836) A escravidão religiosa cativa e debilita o espírito e torna-o incapaz de nobres empresas.

William Blake (1757-1827) "O casamento do céu e do inferno " (1790-3) Assim como a lagarta escolhe as folhas melhores para pôr nelas seus ovos, o padre lança suas maldições para as mais doces satisfações.

Anne Newport Royall (1769-1854) de: "Missionaries, Black Book" Volume III (1829) Esta gente da Bíblia faz-me lembrar outra calamidade semelhante a esta intriga missionária, quando nossa gente, ou qualquer outro poder cristão ia para África com o pio propósito de raptar negros, as mães gritavam a seus filhos "Foge, foge, já chegam os cristãos".
Ent
ão, cuando ouves a palavra "Bíblia", foge e salva a tua vida, se não queres que te roubem todo, ou que te insultem e te caluniem como fizeram com mim ... e se ouves "conversões esperançadas" ou "evangelho" não deixar de cuidar-te.

Napoleão Bonaparte (1769-1821)
-
Encontro-me rodeado por padres que repetem incessavelmente que seu reino não é deste mundo, mais pôr suas mãos em todo o que podem alcançar.
- Religião é uma coisa excelente para manter as pessoas comuns quietas.
- Todas as religiões foram criadas pelo homem.

Stendhal (Henri Beyle, 1783-1842) Todas as religiões são fundadas sobre o temor de muitos e a esperteza de poucos.

Arthur Schopenhauer (1788-1860) de: "Parerga e Paralipómena" (1851) A religião é uma obra de arte de amestrar animais, porque treina a gente sobre como devem pensar.

Percy Bysshe Shelley (1792-1822) de: "A rainha Mab: un poema filosófico" (1813)
E os padres atrevem-se chocalhar de um Deus de paz.
Até enquanto suas mãos são sujas de sangue inocente.
E entretanto assassinam, desarraigando cada gérmen
De verdade, exterminando, saqueando todo,
Fazendo da terra um matadouro!

Frances Wright (1795-1852) de: "Divisions of Knowledge" (1828) Os pregadores mercenários de cada seita, credo e religião, nunca ensinando, e nunca poderiam ensinar, nada que não seja em conformidade com as opiniões dos que os pagam.

Richard Birnie (1808-1888) de: "Essays: Social, Moral And Political" (1879) Que grande dose de vaidade deve esporear a religiosidade dos missionários! algo de melodramático no desembarcar em qualquer ilha das Fiji, no baptizar, perverter e por fim assassinar o confiante selvagem, para tomar-lhe a terra no nome do Altíssimo.

Oliver Wendell Holmes, S. (1809-1894)
-
O homem que está sempre preocupado pela danação da sua mesma alma, em geral tem uma alma que não vale nada.
-
Os homens são idólatras, e sempre precisam de qualquer coisa que adorar e beijar, ou diante de quem prostrar-se; sempre fizeram-o e sempre farão-o; e se não fazem-o de madeira fazem-o de palavras. De: "The Poet at the Breakfast Table" (1872)

Edgar Allan Poe (1809-1849) Os pioneiros e os missionários da religião foram a verdadeira causa de mais tumultos e guerras de cada outra classe da humanidade.

Charles Dickens (1812-1870) Os missionários são perfeitos incómodos e deixam todos lugares piores de como os encontraram.

Sir James Paget (1814-1899) Não conheço outro livro que tinha sido fonte de brutalidade e comportamento sádico, tão pública quanto privada, que possa-se comparar com a Bíblia.

George Eliot (Mary Ann Evans, 1819-1880) Minha infância foi cheia de profundas dores: cólicas, pertússis, medo de fantasmas, Satã, e uma deidade no céu que se enfurecia quando eu comia demasiado bolo de frutas.

Mark Twain (Samuel Langhorne Clemens, 1835-1910) de: "Letters from the Earth" (1909?; publicado em 1962)
(a Bíblia) é muito interessante. nobre poesia, e umas astutas fábulas, e umas histórias ensangüentadas, e umas boas morais, e abundante obscenidade, e sobretudo mil mentiras.

Émile Zola (1840-1902) A civilização jamais alcançará a perfeição até que a última pedra da última igreja caia sobre o último padre.

Ambrose Bierce (1842-1914?) de "Dicionário do Diabo", 1911.
Clérigo, s. Homem que encarrega-se de administrar nossos negócios espirituais, como sistema para favorecer os seus negócios temporais.
Escrituras, s. Os sagrados livros da nossa santa religião, em oposição aos escritos falsos e profanos naqueles fundam-se todas as outras religiões.
Religião, s. Uma filha da Esperança e do Medo, que explica à Ignorância a natureza do Desconhecido.
Orar, v.i. Pedir que as leis do universo sejam anuladas em favor de um único postulante, que se confessa indigno.
Santo, s. Um pecador morto, revisto e corrigido.

Friedrich Nietzsche (1844-1900) de: "O Anticristo" (1895)
O que um teólogo sente como verdadeiro deve ser falso: neste facto há quase um critério de verdade.

Lemuel K. Washburn (1846-1927) de: "Is The Bible Worth Reading?"
Se a fábrica paga os impostos e a igreja não faz-o, deste facto deduz-se que um dia a igreja possuirá a fábrica.

Helen H. Gardener (1853-1925) de: "Men, Women and Gods" pag. 14.
A Bíblia ensina que um pai pode vender a sua filha para um escravo [Ex. xxx, 7], que pode sacrificar a sua pureza a uma multidão [Juízes xix, 24; Gênesis xix, 8], e que pode assassina-la, e de qualquer modo ser um bom pai e um homem santo. Ensina que um homem pode ter qualquer número de esposas, que pode vende-las, oferece-las ou troca-las, e ainda continuar a ser um perfeito cavalheiro, um bom esposo, um homem justo, e um dos amigos mais íntimo de Deus; e esto é apenas o início. Ensina quase cada infâmia que há debaixo do ceu contra as mulheres, e não as reconhece como seres humanos livres e providos de vontade própria. Classifica-a como uma propriedade, mesmo como uma ovelha, e proíbe-lhe pensar, falar, agir, ou existir, excepto sob condições e limites definidos por um padre.

Theodore Dreiser (1871-1945) Assegura a um homem que tem uma alma e depois assusta-o com contos de comadres sobre o que vai acontecer-lhe, e terá caído no anzol um peixe, um escravo mental.

Bertrand Russell (1872-1970) de: "Porque não sou cristão". Minha opinião a respeito da religião é a de Lucrécio. Considero-a como uma doença nascida do medo, e como uma fonte de indizível miséria para a raça humana.

Henry Louis Mencken (1880-1956) de: "A Mencken Chrestomathy. Sententiæ: Arcana Cælestia" (1949) Teologia; Um esforço de explicar o incognoscível pondo-o em termos que não vale à pena conhecer.

Sir Julian Sorell Huxley (1887-1975) de: "The Creed of a Scientific Humanist " Lembro-me a história do filósofo e do teólogo. Os dois estavam empenhados numa discussão e o teólogo utilizou a velha boa saída sobre o filósofo que assemelha-se a um cego num quarto sem luz, procurando um gato preto, que nem sequer há. "Pode ser," respondeu o filósofo: "Mas um teólogo teria-o encontrado."

Joseph Lewis (1889-1968) de: "The Ten Commandments", pag. 66-67. Transformar um pau numa serpente e a serpente de novo num pau pode ser astuta bruxaria, mas como pode tal demonstração provar que Moisés falou a Deus? Se a única coisa necessária para provar a veracidade duma afirmação extraordinária fosse demonstrar a capacidade de maravilhar, não haveria mistérios que resolver.
Se alguém declara que pode ressuscitar os mortos, e como prova desta capacidade tira um coelho duma cartola, é improvável que esto seja a demonstração da verdade da sua afirmaç
ão; é simplesmente um exemplo de sua capacidade na arte do engano. E se ele declara de poder voar sem asas e sem uso de auxílios mecânicos de qualquer espécie, e como prova da sua capacidade tira outro conelho de outra cartola, esto não é a prova da sua capacidade de voar, mas ao contrário da sua capacidade de mentir, e ele sem muitas hesitações será condenado como aldrabão. A demonstração duma coisa não tem absolutamente nenhum peso no provar a verdade de outra, quando não há relação entre elas.

Henry Marie Joseph Millon de Montherlant (1895-1972) de: "Carnets" A religião é a doença vergonhosa da humanidade.

Clive Staples Lewis (1898-1963) de:"God in the Dock" . De todas as tiranias, uma tirania exercida para o bem das suas vítimas, pode ser a mais opressiva. Pode ser melhor viver sob uns barões ladrões que sob omnipotentes abelhudos morais. A crueldade do barão ladrão pode às vezes aplacar-se, sua avidez pode de certa medida ser saciada; mas os que nos atormentam para nosso bem, nos atormentaram sem fim, porque fazem isto com a aprovação da sua consciência.

Jean-Paul Sartre (1905-1980) de: "O diabo e o bom Deus" . Eu conheço uma única igreja: é a sociedade dos homens.

Stanislaw Jerzy Lec (1909-1966) de: "Unkempt Thoughts" (1962) Quem não tem pecado, que atire a primeira pedra. É uma armadilha, porque então ele não estará sem pecado.

Francis Harry Compton Crick (1916-2004) Se as religiões reveladas revelaram alguma coisa é precisamente que de costume não tem razão.

John Updike (1932-2009) de: "Pai Nosso Computador" (1986) Cada vez que a religião entra em contacto com a ciência fica queimada. No Século XVI a astronomia, no XVII a microbiologia, no XVIII a geologia e a paleontologia, no XIX a biologia de Darwin. todas ampliaram fantasticamente os limites do mundo e obrigaram os padres a procurar protecção em cantinhos cada vez mais pequenos, cada vez mais escuros, pequenas sombrias ambiguas cavernas na psique onde mesmo hoje a neurologia cruelmente atormenta-os, desaninhando-os fora do cérebro multi-pregueado como piolhos da madeira debaixo duma pilha de lenha. Barth tinha razão: totaliter alter. Somente colocando Deus completamente no outro lado do humanamente compreensível, poderá ser assegurada toda salvação final para Ele.

George Carlin (1937-2008)
-
A igreja católica é perturbante: conseguiu persuader-nos que há um Deus misericordioso e caridoso, que criou o ceu e a terra, que nos ama, que quer-nos a seu lado, que é omnipotente e que precisa dinheiro.
-
Nunca gostaria de ser membro dum grupo cujo símbolo é um fulano encravado a dois pedaços de madeira.
-
A religião é como um par de sapatos ... encontre um que fica bem para voçê mas não me faça usar seus sapatos.
-
Religião chegou a convencer as pessoas de que existe um homem-invisível morando no céu, que vê tudo que você faz, todo dia, a todo instante. E esse homem-invisível criou uma lista de 10 coisas que ele não quer que você faça. Se você fizer uma dessas 10 coisas, ele tem um lugar especial cheio de fogo, fumaça, ardor, tortura e angústia, para onde ele te envia para sofrer e se queimar e se sufocar e gritar e chorar para todo o sempre até o fim dos tempos ... mas ele te ama! De: "Politically Incorrect" 29 maio 1997.

Frank Zappa (1940-1993) A minha melhor mensagem para seja quem for quiser criar filhos felizes e mentalmente sãos é: mantenham seus filhos o mais afastados possível da igreja.

Isabel Allende (1942-) de: "A casa dos espiritos"
- Ele dizia que o cristianismo, como quase todas as outras superstições, tornava o homem mais fraco e resignado e que não se deve esperar uma recompensa no céu, mas sim lutar por seus direitos sobre a terra.

Annie Dillard (1945), de: "Pilgrim at Tinker Creek "
Um caçador inuit perguntou ao padre missionario local:
"Se eu não souber sobre Deus e pecado, Eu vou para o inferno?"
"Não", disse o padre, "não se você não souber.“
"Então por que," perguntou sério o inuit, "você me contou?“

Dan Barker (1949-) de: "Perdendo a Fé na Fé: De Pastor a Ateu"
- Você acredita num livro onde há animais que falam, magos, bruxas, demônios, paus que se transforman em serpentes, comida que cai do ceu, fulanos que caminham pela água, e todo o género de histórias mágicas, absurdas e primitivas, e você diz que somos nós os que precisam ajuda?
-
O conceito mesmo do pecado vem da Bíblia. O cristianismo oferece-se resolver um problema que ele mesmo fabricou! Seria você agradecido a alguém que corte-lhe com uma faca para vender-lhe uma ligadura?

Dennis Miller (1953-) O 66% dos católicos tem relações sexuais uma vez por semana. O número seria mais baixo, mas contaram mesmo os padres.

Rosie O'Donnell (1962-) É preciso acreditar em Deus para fazer-se monja?

Dylan Brody (1964-) Estou disposto a ver as orações nas escolas, se vocês estão dispostos a arranjar lugar pela álgebra nas igrejas.

Giovanni Soriano (1969-) Pontos de vista: acreditar que um gato preto que cruza seu caminho traga-lhe má sorte considera-se superstição; acreditar que uma mulher “sempre virgem” tenha concebido o “filho de deus” graças ao “espírito santo” considera-se fé.

Francesco Vespa (1985-) Que boa a religião! Ontem foi me confessar. Sinto-me melhor, mais agora o padre exige duzentos euros para manter a boca fechada.

www.spinoza.it (2009) Pacote seguridade, os filhos dos imigrantes ilegais serão confiados aos serviços sociais. Vemos o lado positivo: antigamente teriam-os confiados aos padres.

Simone Salis (?) Demasiados papas morreram no trabalho. A Procuradoria-Geral abre investigações. de: Lercio TG - StaiSerena, Rai Radio2, 27 de março de 2015.


de "CONTRO IL CONCORDATO*" em "Cuore" n. 38 - 24 de setembro de 1990
(* o Concordato é o pacto entre Itália e estado da Cidade do Vaticano, ratificado em 1929 e de novo em 1984)

Dante Alighieri (1265-1321): manda ao inferno todos os papas da sua época, e contra eles assim faz falar São Pedro:

"O que usurpa meu sítio na terra,
meu sítio, meu sítio vacante
na presença do filho de Deus,
faz do meu cemitério uma cloaca
de sangue e de fedor, onde o perverso
que caiu cá baixo, lá baixo se aplaca
"
e define a sede papal como:
"
o lugar onde todo o dia Cristo é vendido e comprado"

Giovanni Boccaccio (1313-1375): todo seu Decameron, e em particular seus primeiros quatro contos, são sinos de laicidade. No terceiro o hebreu Melchisedec fala de Roma: "aqui parecia-me de não ver nenhuma santidade, nenhuma devoção, nenhuma obra boa ou exemplo de vida ou outro, em alguém que fosse clérigo; mas só pareceu-me ver luxúria, avareza e gula e coisas similares ou piores (se pode existir algo de pior), com muito prazer de todos e julgo que ela seja um centro de actos diabólicos mais que divinos."
Por estas razões converte-se à
religião cristã, pensando que somente o espírito santo possa ajuda-lo, sendo tais os padres em Roma.

Francesco Petrarca (1304-1374): o mais manso dos poetas assim relata da corte papal:

"Chama do ceu nas tuas tranças chova
Ninho de traiç
ões, onde choca-se
todo o mal qu espalha-se no mundo;
em que a luxúria faz o ensaio geral.
Nos teus quartos garotas e velhos
vão dançando, e Belzebu no centro
com os foles, com o fogo e os espelhos.
"

Leonardo da Vinci (1452-1519): nas suas "Profecias" ri-se das "falsas ciências mentais", como a teologia, e das confissões e indulgências, e estigmatiza irónico o luxo da igreja:
"
Muitos deixaram os exercícios e as fatigas e a pobreza de vida e de bens, e irá viver entre riquezas e em edifícios triunfantes, demonstrando ser esta a maneira de fazer-se amigo de Deus".

Maquiavel (Niccolò Machiavelli, 1469-1527). Seu espírito laico é renomado:
"
Os povos que estão mais próximos à igreja romana, chefe da nossa religião, têm menos religião"
Vale a pena lembrar quem é o autor da expressão "
os fins justificam os meios", por causa de quem foi tanto vituperado pelos padres. Em 1503 ele escreveu ao senhor de Florença que o cardeal Riario, sobrinho do papa Sisto IV, tinha-lhe dito que "em cada coisa os homens têm em mira o fim em vez que os meios". E mais adiante na Mandrágora, ele faz repetir ao cínico frade Timóteo: "além disso, em cada coisa temos que considerar o fim". Demos a Maquiavel o que é de Maquiavel, e aos cardeais o que é dos cardeais.

Francesco Guicciardini (1483-1540): em suas "Memorias" declara:
"
Três coisas desejo ver antes de minha morte, mas duvido, mesmo se viveria uma vida longa, de não ver nenhuma delas: a primiera é viver numa república ordenada em nossa cidade, depois ver minha Itália libertada de todos os bárbaros, e por fim ver o mundo libertado da tirania destos perversos padres".

Miguel Ângelo (Michelangelo Buonarroti, 1475-1564): retoma a invectiva de Dante contra o Vaticano:

"aqui os cálices transformam-se em elmos e espadas
e o sangue de Cristo vende-se a retalho,
e a cruz e os espinhos transformam-se em lanças e rodelas:
e mesmo Cristo perde a paci
ência".

Torquato Tasso (1544-1595): obcecado por medos religiosos e acusado pela Santa Inquisição, queixa-se:
"
que com velados artifícios fizeram-lhe manter, fora de todas suas intenções, uns livros proibidos e além disso que era consciente de ter pronunciado com alguns outros ... umas palavras muito escandalosas, que teriam podido pôr umas dúvidas sobre sua fé". E acrescenta: "O suplicante tem sido encolhido como pecador de humor melancólico, e purgado contra a sua vontade".

Frade Paolo Sarpi (1552-1623): na sua "História do Concilio de Trento" para quem foi perseguido pelos jesuítas, observa:
"
Se porventura houvesse uma única razão de permitir que os clérigos casem, era ... que entre quinhentos padres católicos, encontra-se apenas um que não seja fornicador ... , e que parece muito absurdo não admitir clérigos casados e tolerar os fornicadores: e continuar sendo ambíguos, quer dizer ficar sem padres".

Giuseppe Parini (1729-1799): abade, como membro duma comissão pela reforma dos estudos, declarou:
"
A mediocridade, baixeza e corrupção em todos os géneros de escolas formalmente colocadas ou tacitamente reduzidas sob a direcção dos frades (jesuítas) ... e a drástica decadência das universidades (onde) ser caídas quase sempre nas mãos dos frades, introduziu o mesmo espírito vicioso, falso e faccioso, que encontra-se em suas instituições, em seus colégios e nas escolas que de qualquer maneira vieram sob seu cuidado".

Galileu Galilei (1564-1642): a história da sua abjuração forçada é renomada, mais conhece-se menos seu espírito caustico falando de padres e frades, em seu capítulo em repreensão do hábito:

"se quere conhecer uns maus homens
maldosos, perversos e sem discrição,
v
ocê deve conhecer padres e frades,
que são cheios de bondade e devoção
".

Tommaso Campanella (1568-1639): outra grande vítima da perseguição, escapou à fogueira, mas passou sua vida na cadeia. Assim dirige-se a Cristo:

"Teus sequazes, assemelhando-se mais,
aos que crucificaram-te, que a ti crucificado,
estão hoje, oh bom Jesus, de todo longe
dos costumes que tu sabedoria prescreveu.
Luxúria, insultos, traiç
ões e brigas ...".

Vittorio Alfieri (1749-1803): invectiva assim o estado de Roma, territórios sem estado e igrejas sem religião:

"Vazia e insalubre região que chamas
ti mesma Estado: áridos
campos incultos ...
ricos patrícios ..., e estultos mais que ricos:
um príncipe, tornado feliz pela estupidez dos outros:
Cidade, sem cidad
ãos: augustos templos,
e nenhuma
religião: leis injustas,
que cada lustro vê cambiar, tornandose piores;
As chaves, que uma vez foram compradas pelos ímpios
para abrir a porta do céu, agora s
ão vetustas por idade:
Oh, Roma, és a sede de todos vícios?
"

Ugo Foscolo (1778-1827): foi o primeiro a interpretar a história da literatura fora dos esquemas clericais, deplorando que o clero: "tem a educação dos jovens inteiramente em suas mãos", e anota: "A educação pode ser organizada de maneira que produza somente habilidades medíocres, e os colégios dos jesuítas apinharam Itália com versificadores, declamadores e autores ordinários, cheios de afectação e de mau gosto. E se aquele idade produziu qualquer homem que merecia a admiração e a gratidão da posteridade, este emcontrou-se a escrever e viver num estado contínuo e perigoso de guerra contra os jesuítas"

Alessandro Manzoni (1785-1873): defensor da moral católica e da igreja, já que tinha votado, sendo senador do reino, pela proclamação de Roma como capital da Itália, incorreu na excomunhnão, e por isso foi sepultado no cemitério dos acatólicos, em que seu corpo ainda descansa.

Luigi Settembrini (1813-1876): um espírito religioso e liberal, agüentou a cadeia dos Bourbon, bem sabendo a razão:
"
Entre os padres mais indignos o governo escolhe os mais estúpidos e malvados, nomeia-os bispos e entrega-lhe o cuidado das almas, a instrução, a polícia da diocese e a vigilância da consciência de todos. Por isso os bispos são poderosos espiões dos intendentes de polícia".

Giuseppe Mazzini (1805-1872): espírito religiosíssimo e campeão de democracia:
"
Liberdade e papa estão em contradição. Então, no conflito entre o papa e a liberdade, a quem cabe a vitória? ... Em qual das duas teorias, representadas pelo papa e pela liberdade, uma esperança? Falemos aos padres que estão de boa-fé. Renunciemos a todos estímulos de paixão, a cada vaidade de defesa, e olhemos à volta ... ".

Giuseppe Garibaldi (1807-1882): "Nossa linda pátria será grande quando será libertada do preto bando escrofuloso dos jesuítas e jesuitantes ... Eu imaginava com razão que tinha chegado o tempo de fazer ruir a barraca pontifical e adquirir à Itália sua ilustre capital ... Todo prometia por fim a caída do padre, inimigo do gênero humano".

Francesco De Sanctis (1817-1863): "Queremos ensinar a verdade por meio da mentira, e inculcamos nos outros certas idéias, de quem nós rimos no segredo de nossa consciência, e increpamos contra os padres, e pomos-nos o barrete do padre". E põe de sobreaviso: "Nem as concordatas consolidaram a fé, nem as constituições consolidaram as liberdades".

Benedetto Croce (1866-1952): "Todo este fermento ... gerou em 1846 um papa liberal, Pio IX. Algo impossível, por lógica e realidade".

Antonio Gramsci (1891-1937): " ... o sofisma pseudo-historicista segundo quem os pedagogos não religiosos (não confesionais), e na realidade ateus, permitem o ensino da religião católica porque a religião é a filosofia da infância da humanidade que renova-se em cada infância não metafórica".
Talvez precisaria pesquisar melhor sobre que sofisma pseudo-historicista levou-nos estender hoje este ensino dos três até os dezanove anos.

céticos romanos

Giuseppe Gioachino Belli, (1791-1863) Sonetti, Mondadori, Milano, 1984. (editor: Pietro Gibellini)

O EXEMPLO (30 abril 1834)
Considerando como são acidiosos
estos maus padres malvados e traidores:
Examinando como são raivosos,
gulosos, avaros, soberbos e fodedores;

Retomas um pouco fôlego e ganhas coragem
dormes mais tranqüilo e descansas:
porque seus vícios piores
servem para iluminar os escrupulosos.

É o clero que ensina-nos agir como eles,
o clero, o clero, que olvidou o grande preceito
de amar ao próximo como a si mesmo

Enquanto os padres ofendem o decoro
e a lei de Deus morreu nos seus corações,
quem quererá respeitar sua lei?

AS RISADAS DO PAPA (17 novembro 1834)
O papa ri? mau, amigo! É sinal
Que depressa seu povo vai chorar.
Os risinhos deste bom padrasto*
Para nós enteados vão sempre juntas.

Estes focinhos que levam a tiara
Assemelham-se todos às castanhas:
Lindos fora, e depois, por deus de madeira,
Mofentos dentro, e cheias de defeitos.

O papa ri? Há sarilhos no ar:
Tanto m
ais que suas risadas nestes tempos
Não parecem-me coisa necessária.

Meus filhos queridos, ponham bem atenção
Soberanos em alegria são maus exemplo
s
O que faz o quem ri? Mostra os dentes!

* Nota em pé de página do autor: O nosso romano tem razão. De fato somos filhos de Jesus Cristo e da igreja, sua noiva, que, já que morreu o seu primeiro marido, tornou a casars-se, e ainda não cessa, apesar de sua decrepidez.

OS CARDENAiS NA CAPILLA (20 abril 1846)
(...)
gostaria de ler dentro de seus coraç
ões
quantos deles acreditam em Deus.

Giggi Zanazzo (1860-1911) de:Tradizioni popolari romane. Novelle, favole e leggende romanesche. Edizioni La Bancarella Romana. Roma, 1994 (reimpressão da edição original de 1907-1910). Vol. II, pag.350-351.

O CASO DO CRUCIFIXO
Um dia o papa soube a notícia, que tinha-se espalhado em toda a cidade, que havia um crucifixo que - nada menos! - suava sangue.
A cidade inteira foi ver esta espécie de milagre, e o eremita que possuía o crucifixo ganhava muito dinheiro.
O papa Sisto V não era um tonto, nem desejava que os outros passassem por tontos.
Então um dia, entrando para a carruagem, disse ao cocheiro:
"Vamos ver este Cristo que mija sangue".
Logo que chegou lá, ele disse ao eremita:
"Dê-me aquele crucifixo".
Então tomou uma machadinha emprestada por un marceneiro que trabalhava alí à beira, e dizendo:
"Como Cristo adoro-te, e como madeira racho-te"
deu-lhe uma machadiada e partiu-o em mil bocados.
Podes adivinhar? Dentro havia uma espécie de dispositivo feito com uma esponja embebida numa tinta vermelha de modo que, quando puxava-se um cordel, a esponja espremia-se e deitava a tinta vermelha, que filtrava fora de alguns pequenos furos e gotejava sobre o crucifixo.
Podes imaginar como ficou mal a gente quando viu que espécie de aldrabice contra ela tinha sido descoberto!
Mas o eremita ficou ainda mais mal quando, por ordem do papa, foi apanhado pelos esbirros, e depois julgado e mandado à inquisição.

ligação com "A Bíblia apostillada pelos céticos"

o cristianismo não inventou nada: leas aquí

Me desculpo por qualquer falha na tradução portuguesa:
se você deseja comunicar comígo para correções e/ou comentários,
escreva-me

página criada em: 22 de agosto de 2009 e modificada pela última vez em: 11 de maio de 2019