Com boa saúde
(desde o boletim informativo de Consumer Health Digest. Tradução: Andrea Gaddini)

fraudes várias

Lançaram uma televenda molesta. (#10-11 - 18 de março de 2010)
Un programa de televenda pela Internet prometendo grandes recompensas pode representar uma ameaça pelos operadores dos sites web que enviam seu número de telefone. Os vendedores do programa abasteceram um software que pode procurarar na Internet os números de telefon sendo relacionados com as palavras-chave escolhidas pelos usuários. As listas resultantes podem então ser transferidas pelos sites web que são capazes de efectuar até 3.000 chamadas por hora ao custo de 1-2 cents por chamada. Quando estão combinados, estes programas podem transformar-se um incômodo colossal. [Barrett S. Scraper Pro and Phone Broadcast Club: How to become a major nuisance in two easy steps. Quackwatch, March 17, 2010] http://www.quackwatch.org/15Ads/scraperpro.html.

A FTC pune duramente os vendedores do software "Acne Cure". (#11-29, 8 de setembro de 2011)
Os vendedores de duas aplicações para telemóveis pactuaram conciliações que impõem-lhes a abster-se de afirmar sem fundamento que seus produtos possam tratar com êxito a acne gerando luzes coloridas ["Acne Cure" mobile app marketers will drop baseless claims under FTC settlements. FTC News release, Sept 11, 2011]. Em ambos os casos, aos usuários aconselhava-se a segurar o ecrã do telemóvel perto da zona da pele a tratar por poucos minutos todos os dias enquanto a aplicação estava ativada.
O desenvolvedor de software Koby Brown e o dermatologista Gregory W. Pearson que fazem negócios com a firma Dermapps (Houston, Texas), venderam aproximadamente 11.600 cópias de "AcneApp" por meio do iTunes store por $1,99. Segundo a conciliação são obrigados a pagar $14.294 à FTC.
O desenvolvedor de software Andrew N. Finkel (Rochester, N.Y.) vendeu aproximadamente 3.300 cópias do "Acne Pwner" por meio do Android Marketplace de Google por $.99. Sua conciliação requer o pagamento de $1.700.
Estes casos são os primeiros em que a FTC activou-se contra afirmações sobre a saúde no mercado das aplicações para telemóveis.

Reebok aceitou as acusações por afirmações publicitarias enganadoras. (#11-36, 27 de outubro de 2011)
Reebok International aceitou as acusações da FTC de acordo com as quais a publicidade de seus "sapatos tonificantes" era enganadora. A publicidade em questão afirma que a tecnologia da sola dos sapatos de passeio Reebok's EasyTone e dos sapatos de corrida RunTone equipa-os de bolsas de aire em movimento que criariam "micro-instabilidade" que tonificaria e fortaleceria os músculos durante o passeio ou a corrida.
De acordo com a conciliação Reebok deverá pagar 25 milhões de dólares e abster-se de fazer afirmações não demostradas sobre o facto do que os sapatos tonificantes ou outra roupa tonificante sejam eficazes em fortalecer os músculos. [Reebok to Pay $25 Million in Customer Refunds To Settle FTC Charges of Deceptive Advertising of EasyTone and RunTone Shoes. FTC news release, Sept 28, 2011] http://www.ftc.gov/opa/2011/09/reebok.shtm

Publicou-se na internet um clássico sobre a história dos cigarros (#13-42,- 6 de novembro de 2013)
O texto completo do livro-denúncia de 1984 pela Dra. Elizabeth Whelan, A Smoking Gun: How the Tobacco Industry Gets Away with Murder (A pistola fumegante: como a indústria do tabaco safou-se de seus homicídios), foi publicado no site web de Quackwatch (ligação). O livro concentra-se em como a indústria do tabaco alcançou o êxito econômico e nas ações necessárias para controlá-lo.

Clarividente trapaceira condenada a 10 anos (#14-08 - 9 de março de 2014)
Rose Marks, que com alguns de seus família res tinha estabelecido um negócio de predição do futuro, em Fort Lauderdale, Flórida e da cidade de Nova York, foi condenada a mais de 10 anos de prisão que cumprir numa prisão federal por fraudar seus clientes por mais de 17,8 milhões de dólares. Marks está na prisão desde setembro, quando um júri considerou-a culpada de 14 crimes depois de um julgamento que durou um mês. Entre suas vítimas a escritora de romances sentimentais bem-sucedidos Jude Deveraux, que era sua cliente desde 19911. A indiciação que inclui acusações de fraude postal e telemática e branqueamento de capitais, afirma que:
- Marks, que se apresentava como adivinha, clarividente e conselheira espiritual, induzia seus clientes a dar-lhe dinheiro, jóias, presentes e outros objetos de valor em troca de sua promessa de fornecer serviços predição do futuro, curar as pessoas de doenças, remover maldições, afastar maus espíritos de casas e pessoas e limpar as almas dos seus clientes e suas famílias.
- Marks também referia a seus clientes que tinha falado com São Miguel Arcanjo para conselhos e pareceres por seus casos.
- Oito outros membros da família que participaram de uma forma ou de outra ao negócio famíliar.
Os outros membros da família são culpados de acusações menores e foram ou serão condenados. O Miami Sun-Sentinel publicou as principais etapas do processo, incluindo aquila em que o juiz declarou que, embora os crimes da família fossem desprezível ficou surpreso que alguém pudesse deixar-se enganar por promessas e predições absurdas feitas por eles. Os Advogados do Estado disseram que muitas das vítimas eram particularmente vulneráveis porque tiveram que lidar com perdas, problemas de relacionamento, doenças pessoais ou familiares e outras adversidades, mas o juiz disse que muitos deles tinham um alto nível de educação. [McMahon P. 'Psychic' who fleeced millions from clients sentenced to 10 years in prison. Sun Sentinel, March 3, 2014, enlace].

Smithsonian relata duma fraude sobre o jejum (#14-40 - 3 de novembro de 2014)
Smithsonian.com publicou um breve relato sobre Linda Hazzard, que, apesar do escasso treinamento formal e da falta dum diploma de médico, foi licenciada pelo estado de Washington como "especialista em jejum". [Lovejoy B. The Doctor Who Starved Her Patients to death: Linda Hazzard killed as many as a dozen people in the early 20th century, and they paid willingly for it. Smithsonian.com, Oct 28, 2014]. Hazzard alegava que a raiz de todas doenças era o comer demais e recomendava longos períodos de jejum quase total durante o qual os pacientes consumiram apenas pequenas porções de caldo de legumes, foram submetidos a sistemas de "enxaguada" de seus aparelhos com enemas diários, e massagens vigorosas, que, na opinião dos enfermeiros, às vezes pareceram-se mais com espancamentos. O artigo descreve como vários de seus pacientes morreram de fome, ela tornou-se beneficiária dos bens dos clientes ricos, e em 1911, ela foi finalmente condenada e aprisionada por homicídio culposo. Os detalhes de sua carreira foram publicados em Starvation Heights (2005), que está disponível em Amazon.com.

Desmascarou-se o conceito de "desintoxicação" (#16-02 - 10 de janeiro de 2016)
O farmacêutico Scott Gravura escreveu um excelente artigo sobre as falsas "desintoxicações" [Gravura S. The one thing you need to know before you detox. Science-based Medicine Blog, Dec 31, 2015]. O artigo explica:
"desintoxicação" é um termo médico legítimo que foi cooptado para vender produtos e serviços inúteis. É um falso tratamento para uma falsa doença. A verdadeira desintoxicação não pede-se do menu dum bar de sumos, nem ensambla-se a partir de provisões encontradas na despensa. A verdadeira desintoxicação é proporcionada em hospitais em situações de risco de morte, geralmente quando há níveis perigosos de drogas, álcool ou outros venenos no organismo. Os remédios usadas para a verdadeira desintoxicação não são os ingredientes duma batida de frutas. O que está a ser promovido hoje como "desintoxicação" não é tão diferente do que eram os rituais religiosos de limpeza e purificação mais antigos do que as montanhas. Enquadrar a desintoxicação em termos religiosos não teria atrativo num mundo que valoriza a ciência. Portanto, usem a palavra "tóxico" em lugar de "pecado", e chamai "desintoxicação" um ritual, e de repente terão dado a seu tratamento um verniz que soa científico (...).
Nunca publicou-se qualquer evidência que sugira que tratamentos, kits ou rituais de desintoxicação tenham qualquer efeito sobre a capacidade do nosso corpo de eliminar os resíduos de forma eficaz. Eles têm, de qualquer forma, a capacidade de danificar, não só com efeitos diretos, como enemas de café e purgantes, mas também distraindo e confundindo a gente sobre como o corpo realmente funciona e sobre o que precisamos fazer para mantê-lo saudável. A "desintoxicação" centra a atenção em questões irrelevantes, dando a impressão de que possam-se cancelar decisões de estilo de vida com remendos rápidos. A melhoria da saúde não encontra-se numa caixa de ervas, num frasco de produto homeopático ou num saco de café esvaziado em seu reto. As implicações sobre o estilo de vida duma má alimentação, da falta de exercício físico, do tabagismo, da falta de sono e e do uso de álcool ou drogas não podem simplesmente ser enxaguadas ou purgadas. Nossos rins e nosso fígado não precisam dum tratamento de desintoxicação. Se alguém sugere-lhe uma desintoxicação ou uma purificação, lembre-se que você está ouvindo uma lábia publicitária para uma doença imaginária.
Quackwatch oferece mais detalhes sobre estratégias e fraudes sobre a "desintoxicação".

Andantes sobre brasas queimados (#16-25 - 3 de julho de 2016)
Mais de 30 pessoas tomando parte num evento seminário de Tony Robbins "Unleash the Power Within" ("desencadeie a força que você tem dentro de si") em Dallas, tem sido tratadas por queimaduras depois de ter sido encorajadas a andar sobre brasas [More than 30 burned during famous motivational speaker's hot coal walk. CBS News, June 24, 2016]. Andar sobre brasas consiste em caminhar sobre brasas, pedras, ou cinzas quentes sem se queimar as plantas dos pés. Robbins encoraja a fazê-lo para demonstrar que as pessoas podem fazer coisas que parecem impossíveis e representa-lo como uma técnica para transformar o medo em força. Robbins descreve seus seminários motivacionais como "projetado para ajudá-lo a desbloquear e libertar as forças que você tem dentro de si e que podem ajudá-lo a derrubar qualquer limite e criar a qualidade de vida que você deseja". Lesões similares foram relatados num seminário de Robbins em San Jose, Califórnia em 2012. The Skeptics Dictionary publica um excelente artigo sobre o andar sobre fogo.

Amazon.com criticado por vender produtos de charlatães (#16-34 - 11 de setembro de 2016)
Um relatório do diário britânico The Sun acusa Amazon.com de "pôr em perigo doentes e pessoas vulneráveis traficando ilegalmente falsas curas de charlatães para o câncer" [Quinton M, Stoneman J. DANGEROUS AND MISLEADING' How web giant Amazon 'endangers' the sick and vulnerable by 'peddling bogus miracle cancer cures. The Sun, Sept 6, 20-16]. Entre os produtos há uns "zappers" electrónicos anunciados para tratar o HIV, instruções sobre como administrar enemas de lixívia para o autismo, e comprimidos feitos a partir de glândulas animais destinados a pessoas com distúrbios da tireóide. Outro produto, as Dr Reckeweg R17 Tumour Drops, que se alega tratar "todos os tumores, malignos ou benignos", incluindo cancro da mama e do estômago, foi retirado do site da Amazon depois que o artigo foi publicado, mas milhares de produtos duvidosos permanecem disponíveis através da Amazon.

Resolveram-se ações judiciais contra a Trump University (#16-43 - 20 de novembro de 2016)
O procurador-geral de Nova York, Eric Schneiderman, anunciou que Donald J. Trump concordou em pagar 25 milhões de dólares para resolver três ações judiciais que acusavam-no de ter deturpado a natureza e o valor dos cursos de mercado imobiliário ofrecidos pela Trump University. O acordo inclui o pagamento de 21 milhões de dólares para resolver dois processos de ação coletiva em Califórnia e 4 milhões de dólares no Estado de Nova York dirigidos a (a) reembolsar os ex-alunos que não eram partes nas ações coletivos e (b) se sobraram fondos, para pagar até 1 milhão de dólares por custos e/ou sanções pela incapacidade da Trump University de obter uma licença do Departamento de Educação de Nova York. Trump não admitiu qualquer responsabilidade, mas Schneiderman no seu comunicado de imprensa não mediu as próprias palavras:
Em 2013, meu escritório processou Donald Trump por ter estafado milhares de americanos inocentes de milhões de dólares por meio de um esquema conhecido como Trump University. Donald Trump lutou contra nós em cada passo do caminho, apresentando acusações infundadas e apelações infrutuosas e recusando-se a resolver até modestas indenizações por pequenas somas para as vítimas de sua falsa universidade. Hoje, um acordo por 25 milhões de dólares, é uma impressionante inversão por Donald Trump e uma vitória importante para as mais de 6.000 vítimas de sua universidade fraudulenta.
Credential Watch contem detalhes adicionais e ligações para os documentos de todos os três processos judiciais.

Três pacientes ficaram cegas com terapia de células estaminais não aprovada (#17-13 - 26 marzo 2017)
Informou o New England Journal of Medicine que três mulheres se tornaram permanentemente cegas depois de terem recebido injeçoes com uma preparação de células estaminais em seus olhos. As pacientes, com idade entre 72 e 88 anos, apresentavam degeneração macular relacionada à idade. Relatórios de jornais identificaram a clínica como Bioheart Inc., também conhecida como US Stem Cell Inc. e dizem que o procedimento com células estaminais envolveu a lipoaspiração para tirar a gordura da área abdominal, o isolamento das células estaminais da gordura e a injeção dessas células diretamente nos olhos. As complicações incluíram o descolamento de retina, hemorragias e perda de visão. Observadores entendidos acreditam que a FDA deveria regulamentar mais rigorosamente o tratamento com células estaminais e que os estudos não aprovados não devam ser listados no site ClinicalTrials.gov porque isso lhes dá uma respeitabilidade imerecida [McGinley L. 3 women blinded by unapproved stem-cell 'treatment' at Florida clinic. Chicago Tribune, March 16, 2017]. Outro artigo no New England Journal observou que: "Além de algumas indicações bem estabelecidas, a afirmação de que as células estaminais são intrinsecamente capazes de sentir o ambiente em que são introduzidas e endereçar-se para quaisquer funções que necessitem de substituição ou reparação, não é baseada em evidência científica".

Blogger australiana condenada por mentir sobre um tumor cerebral (#17-14 - 2 de abril de 2017)
Um juiz do tribunal federal concluiu que por Belle Gibson, de 25 anos de idade, não tinha uma base racional ou razoável para acreditar que ela tinha câncer, quando declarava-o publicamente para promover seu libro e suas aplicaçoes. O livro de Gibson, "The Whole Pantry" ("a despensa integral"), afirmava que: (a) foi diagnosticada com câncer no cérebro e dizeram-lhe que iria morrer dentro de quatro meses; (b) tinha recebido tratamentos padrão mas então embarcou-se numa "busca" para curar-se através de "nutrição e medicina holística", (c) a dieta e os tratamentos naturais tinham estendido sua vida. O processo criminal contra Gibson foi iniciado pela Consumer Affairs Victoria, que também tinha obtido um compromisso exequível no qual a editora do livro (Penguin Australia Pty Ltd) reconheceu que as declarações no livro eram falsas e concordou em doar 30.000 dólares australianos para o Victorian Consumer Fund (Fundo dos Consumidores do Estado de Victoria). Reportagens de imprensa afirmam que Gibson recebeu mais de um milhão de dólares australianos de seu livro e de suas aplicaçoes [Brown V, Sullivan R. Judgment in Belle Gibson vs. Consumer Affairs Victoria case handed down. News.com.au, March 16, 2017].

A Secretária da Educação dos Estados Unidos investiu fortemente numa questionável clínica de "treinamento cerebral" (#17-22 - 28 maio 2017)
O Washington Post publicou uma detalhada reportagem sobre a Neurocore, uma empresa de "desempenhos cerebrais" de propriedade da família de Betsy DeVos, a Secretária estadounidense de Educação. A DeVos demitiu-se de seu cargo no conselho de administração de Neurocore quando ingressou no gabinete Trump, mas ela e seu marido mantêm uma participação financeira entre 5 e 25 milhões de dólares, de acordo com uma declaração de divulgação apresentada no Office of Government Ethics (Escritório de Ética Governamental). O programa Neurocore alega melhorar o desempenho do cérebro através de sessões em que o paciente assiste a televisão enquanto está conectado a uma máquina de eletroencefalograma (EEG). O autor da reportagem submeteu-se a uma avaliação do programa de 250 dólares, examinou a evidência experimental relevante, entrevistou vários especialistas e concluiu:
Admito que antes de ingressar em Neurocore, tive pouca intenção de me inscrever para o tratamento da empresa. Eu tinha lido demasiaos artigos céticos sobre o treinamento cerebral para pensar que eu deveria pagar por seus serviços. Mas foi preciso conversar com especialistas e uma visita à Flórida para descobrir que a empresa também era prejudicial , uma Trump University para pessoas com dificuldades cognitivas. Ao envolver ciência fraca numa embalagem elegante, prometendo algo que não pode entregar completamente, a Neurocore oferece falsas esperanças para pessoas que precisam de ajuda sincera. A este respeito, o que é mais notável é que DeVos, a principal pedagoga da nação, está por trás de tudo, promovendo uma forma de educação que na verdade não parece educar [Boser U. Betsy DeVos has invested millions in this 'brain training' company. So I checked it out. Washington Post, May 26, 2017].

Emitiram alerta sobre a terapia de cor (#17-24 - 18 junho 2017)
Skeptical Inquirer publicou uma crítica da cromoterapia (terapia de cor), um tratamento pseudocientífico no qual a luz colorida é aplicada na pele ou nos olhos [Point S. The danger of chromotherapy Skeptical Inquirer 41(4):50-53, 2017]. Durante mais de 100 anos, a fonte de luz foram as lâmpadas incandescentes, que não apresentam nenhum perigo físico. O autor observa, no entanto, que alguns dispositivos recentes usam lâmpadas LED que são bastante poderosas para causar danos na retina, se colocadas perto dos olhos.

O Conselho Americano de Ciência e Saúde desaprova testes genéticos para talentos de futebol (#17-28 - 16 julho 2017)
O Conselho Americano de Ciência e Saúde (American Council on Science and Health) criticou fortemente uma empresa que afirma que seu "DNA Soccer Test" de 299 dólares pode ajudar os pais a avaliar e melhorar o potencial duma criança como jogador de futebol [Lief E. The goal is scamming parents: Testing kids's DNA for soccer talent. ACSH Web site, July 12, 2017]. Em 2015, a Federação Internacional de Medicina do Esporte (International Federation of Sports Medicine) concluiu:
- O número de empresas que oferecem testes genéticos diretos ao consumidor (DAC) afirmando identificar o potencial atlético das crianças cresceu de pelo menos 22 em 2013 até pelo menos 39 em 2015.
- As questões em torno desses testes incluem reivindicações exageradas, falta de divulgação e de controle de qualidade e incentivo para comprar suplementos caros.
- O consenso geral entre pesquisadores de genética esportiva e do exercício é que os testes genéticos não atendem aos requisitos básicos do diagnóstico e têm pouco ou nenhum papel a desempenhar na prescrição individualizada de treinamento para maximizar o desempenho.
- Nenhuma criança ou jovem atleta deve ser exposto ao teste genético do DTC para definir ou alterar o treinamento ou a identificação do talento [Webborn N and others. Direct-to-consumer genetic testing for predicting sports performance and talent identification: Consensus statement. British Journal of Sports Medicine 49:1486-1491, 2015].

Resolveu-se um caso de publicidade dum repelente de insetos (#18-41 - 14 outubro 2018)
A Federal Trade Commission (FTC, Commissão Federal de Comércio dos Estados Unidos) aprovou uma ordem final de consentimento que resolve as acusações de publicidade enganosa contra a Mikey & Momo, Inc. e seus proprietários em relação à comercialização de seus sprays e velas perfumadas. A FTC acusou os réus de (a) indevidamente alegar que seus produtos repeliriam os mosquitos que transmitem os vírus que causam zika, dengue, chicungunha e febre amarela e (b) de ter publicado em Amazon um comentário de cinco estrelas escrito por um dos proprietários e por seus parentes. [FTC approves final consent order in Aromaflage insect repellant advertising case. FTC Press Release. Sept 27, 2018].

John Oliver desaprova as práticas da indústria de tratamento de dependência (#19-11 - 17 março 2019)
No ano passado, num brilhante fragmento de 19 minutos (vídeo em in·glês) de seu programa da HBO "Last Week Tonight", o cómico John Oliver falou de:
- alegações publicitárias não provadas sobre altas taxas de sucesso do tratamento da dependência nos EUA
- utilização de abordagens de tratamento não testadas
- falta de inclusão em muitos programas de abordagens de tratamento baseadas em evidências
- perigosa falta de regulamentação da indústria do tratamento da dependência
- falta de barreiras em alguns estados à abertura de pacientes de ambulatório e casas de reabilitação
- exploração de pagamentos de seguros para análise da urina para exposição a drogas na Flórida, por meio de propinas pelos laboratórios de análise
- recrutamento de pacientes ("junkie hunting" ou seja "caça aos viciados"), consistindo em atrair viciados bem segurados pagando-lhes aluguel, comida e cigarros para obter acesso à sua cobertura de seguro
- incentivos financeiros para que os viciados recaiam e voltem ao retratamento (o "Florida Shuffle")
- redes telefónicas promovidas indicando aos chamadores que procuram tratamento uns programas que pagam os médicos aos quais são indicados
- sites web que fornecem análises dum centro de tratamento, mas que na realidade são propriedade do centro mesmo.
Oliver recomendou apropriadamente que as pessoas que procuram tratamento de dependência usem a ferramenta de pesquisa de médicos do Conselho de Medicina Preventiva dos Estados Unidos (American Board of Preventive Medicine) para procurar médicos certificados pelo Conselho em medicina de dependência.

John Oliver expõe truques e malefícios dos médiuns (#19-12 - 25 março 2019)
Em um recente fragmento de 21 minutos (vídeo em in·glês) de seu programa da HBO "Last Week Tonight", o cómico John Oliver forneceu uma brilhante desmontagem dos médiuns que supostamente podem receber mensagens das pessoas falecidas para seus entes queridos. Oliver examinou como os médiuns usam, enganosamente, técnicas de cold reading (leitura a frio) e hot reading (leitura a quente) para convencer as pessoas vulneráveis a investirem grandes quantias de dinheiro para receber mensagens de suas pessoas queridas falecidas. Oliver citou uma enquete recente do Pew Research Center, que descobriu que quatro em cada dez adultos americanos acreditam em médiuns. O Pew também relatou que seis em cada dez americanos aceitam pelo menos uma crença da "Nova Era", incluindo reencarnação, astrologia, psíquicos e a presença de energia espiritual em objetos físicos como montanhas ou árvores [Gecewicz C. 'New Age' beliefs common among both religious and nonreligious Americans. Pew Research Center. Oct 1, 2018].

Foi criado um arquivo dos processos contra a Trump University (#20-23 - 14 junho 2020)
A Credential Watch criou um arquivo com os principais documentos de ações judiciais contra Donald Trump e a Trump University, que mandaram um programa de treinamento imobiliário de 2005 a 2010. Em 2016, Trump concordou em pagar 25 millones de dólares para resolver três ações judicial que acusavam ele e seus associados ter presentado enganosamente a natureza e o valor dos cursos imobiliários oferecidos pela escola. O arquivo inclui depoimentos, documentos de venda e reportagens que destacam sua conduta enganosa [Barrett S. Lawsuits against Trump University settled. Credential Watch, June 7, 2020].

Publicado clássico relatório sobre a fluoretação (#20-26 - 5 julho 2020)
A Dental Watch publicou o Relatório do Real Comissário sobre a fluoretação no abastecimento de água (Report of the Royal Commissioner on the Fluoridation of Water Supplies) de 1968. O livro de 268 páginas, escrito pelo juiz da Suprema Corte da Tasmânia, Malcolm Peter Crisp, foi baseado em testemunhos em 66 audiências, além duma resenha de volumosas observações escritas. Crisp concluiu que (a) as evidências mostram "esmagadoramente" que a fluoretação é segura e benéfica e (b) que a decisão de aplicá-la ou não deveria ser tomada pelo Parlamento da Tasmânia e não pelos governos locais. Cerca de 20% do relatório explica por que várias objeções não tinham mérito, incluindo algumas que Crisp considerava tão absurdas que deveriam ser consideradas ilusórias. Na página 134, por exemplo, ele observa:
Fui informado de que as campanhas oficiais e profissionais a favor da fluoretação são a propaganda mais perigosa e subversiva que ainda aparece no mundo ocidental. Que a fluoretação foi responsável pela Primeira Guerra Mundial e pela Revolução Russa. Que era uma conspiração nazista para alcançar a dominação mundial, mas que, quando os russos invadiram a Polônia, os estados-maiores alemão e russo trocaram seus planos militares científicos, e o esquema de controle de massa por meio da medicação da água se encaixava no plano comunista russo de comunistizar o mundo. Esta não é a afirmação isolada de algum visionário iludido, mas pode ser encontrada repetidas vezes na volumosa literatura deste assunto com a qual a inteligência pública foi atacada ao longo dos anos.
Essas e outras passagens semelhantes fornecem uma janela fascinante para a história da oposição à saúde pública, hoje muito mais organizada por meio de sites e mídias sociais.

Trump concede clemência a um odioso fraudador do sistema de saúde (#21-01 - 10 janeiro 2021)
O presidente Donald Trump comutou a condenação de Philip Esformes de Miami Beach, cujos crimes envolveram 1,3 bilhão de dólares em reivindicações fraudulentas ao Medicare e Medicaid por serviços em sua rede de enfermagem e centros de assistência domiciliar na Flórida. Esformes foi condenado em 2019 no que os promotores federais denominaram “a mais grande maquinação de fraude ao sistema de saúde já objeto de acusação pelo Departamento de Justiça”. Ele foi condenado a 20 anos de prisão por 20 acusações criminais. Esformes ainda deve pagar o valor restante dos 5,5 milhões de dólares de indenização que faziam parte de sua sentença. Em seu memorando de pré-sentença, os promotores federais descreveram a conduta da Esformes como : “perniciosa, premeditada e parte dum modelo de toda uma vida de desrespeito à lei . . . Este não foi um ato criminoso, mas centenas, até milhares, de opções para infringir a lei por mais de uma década" [Hiltzik M. He was convicted in a historic healthcare fraud. Trump is letting him walk free, yahoo! news, Dec 29, 2020]. Uma acusação de 2016 de Esformes, da administradora do hospital Odette Barcha e do médico assistente Arnaldo Carmouze, afirmava :
A rede de instalações de Esformes deu-lhe acesso a milhares de beneficiários do Medicare e Medicaid.
Muitos desses beneficiários não estavam qualificados para receber cuidados especializados em lares de idosos ou para colocação numa unidade de vida assistida; no entanto, Esformes e seus co-conspiradores os admitiram nas instalações da rede Esformes, onde os beneficiários receberam serviços medicamente desnecessários que foram cobrados do Medicare e Medicaid.
Esformes e seus co-conspiradores enriqueceram ainda mais ao receber propinas para direcionar esses beneficiários a outros provedores que realizaram tratamentos medicamente desnecessários que foram cobrados do Medicare e Medicaid.
Para ocultá-las das forças da ordem, as propinas eram geralmente pagadas em dinheiro ou disfarçadas como pagamentos a doações de caridade, pagamentos por serviços e pagamentos falsos de aluguel.
Esformes e a administradora do hospital Odette Barcha também foram acusados de obstrução da justiça.
Os documentos judiciais indicam que, em 2006, Esformes pagou 15,4 milhões de dólares para resolver um caso de fraude civil que envolvia a entrada desnecessária de pacientes de suas instalações de vida assistida num hospital da área de Miami.

Más estafadores de Medicare obtêm clemência de Trump (#21-03 - 24 janeiro 2021)
Pouco antes de deixar o cargo, o presidente Trump:
- reduziu a pena de Salomon Melgen, um oftalmologista da Flórida que cumpriu quatro anos de prisão federal por fraudar o Medicare em dezenas de milhões de dólares, enquanto colocava em risco pacientes com injeções desnecessárias nos olhos, tratamentos a laser de retinas e injeção de corantes nas correntes sanguíneas dos pacientes;
- perdoou Faustino Bernadett, um ex-anestesiologista da Califórnia e dono de um hospital que havia sido condenado a 15 meses de prisão em conexão com um esquema que pagava propinas a médicos por admitir pacientes no Pacific Hospital de Long Beach para cirurgia espinhal e outros tratamentos;
- perdoou John Davis, ex-diretor executivo da Comprehensive Pain Specialists, uma rede de clínicas de tratamento da dor com base no Tennessee. Davis passou quatro meses na prisão depois de ser condenado por aceitar mais de 750.000 de dólares em subornos e peitas ilegais em um esquema que cobrava do Medicare 4,6 milhões de dólares por equipamentos médicos duráveis.
No final de dezembro, Trump comutou a condenação a 20 anos do ex-magnata do asilo Philip Esformes, que roubou um bilhão de dólares a Medicare e Medicaid [Schulte F. Trump’s pardons included health care execs behind massive frauds. Kaiser Health News, Jan 22, 2021]

A versão original dos textos do boletim informativo está na página inglês. Por sugestões ou críticas sobre a tradução podem escrever-me.
Para consutar o arquivo completo do boletim informativo liguem-se à página web:
https://www.ncahf.org/digest19/index.html.
Para receber gratuitamente o boletim informativo de Consumer Health Digest (em inglês) é suficiente ligar-se à página web:
https://www.ncahf.org/digest/chd.html.

Legenda: FDA: Food and Drug Administration, Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos http://www.fda.gov/
FTC: Federal Trade Commission, Commissão Federal de Comércio dos Estados Unidos http://www.ftc.gov/ em espanhol: http://www.ftc.gov/index_es.shtml
AMA: American Medical Association http://www.ama-assn.org/ama

vá ao índice de "com boa saude"

Boa saúde a todos (à exceção dos charlatães que fazem dinheiro na saúde dos outros).

Me desculpo por qualquer falha na tradução portuguesa:
se você deseja comunicar comígo para correções e/ou comentários,
escreva-me

página criada em: 27 de agosto de 2011 e modificada pela última vez em: 12 de fevereiro de 2020